Últimas

OPAN lança vídeo do projeto Arapaima

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Filme apresenta as formas de vida e a gestão territorial de populações indígenas e ribeirinhas do Médio rio Solimões e Médio Juruá, no Amazonas.

Assessoria - Foi lançado na internet o vídeo “Arapaima: redes produtivas”, feito pela Operação Amazônia Nativa (OPAN), com parceiros de associações indígenas e ribeirinhas. Produzido ao longo de dois anos entre os municípios de Jutaí, Carauari e Manaus (AM) e Cuiabá (MT), o filme apresenta o dia a dia de povos indígenas e comunidades ribeirinhas e como estão se fortalecendo a partir de sua organização social e pela maneira como gerem as terras em que vivem.

O trabalho faz parte do projeto que dá nome ao filme, realizado com recursos do Fundo Amazônia, executado pela OPAN, organização indigenista que completa 50 anos em 2019 e que apoia povos da região do Médio rio Juruá e Médio rio Solimões há mais de duas décadas.

Entre as estratégias de gestão territorial dos moradores locais está o manejo sustentável de pirarucu e a extração do óleo de copaíba com boas práticas extrativistas. São atividades articuladas com outros afazeres cotidianos, como o artesanato e o roçado.

“Esse trabalho levanta questões sobre o real valor dos produtos das cadeias da sociobiodiversidade. Quanto valem o litro do óleo da copaíba, da andiroba ou o quilo do pirarucu da Amazônia?”, destaca a roteirista e diretora Fernanda Machado sobre o trabalho. Ela mencionou que o vídeo traz os desafios que os povos enfrentam no desenvolvimento das ações, por conta de atividades ilegais que acontecem em torno das terras, carências de investimentos e entraves burocráticos e logísticos.

São marcantes no filme os depoimentos dos entrevistados, que protegem, juntos, uma área de mais de seis milhões de hectares de floresta. Proteção sempre pautada pela saúde e para a vida das gerações futuras.

“Mais do que documentar estes povos indígenas, o que mais me motiva e emociona nestes trabalhos são as relações humanas. Sentir a vida deles pulsando no meio da floresta, vivendo e mantendo seus valores e tradições ali, em sua terra; a forma como cuidam do próximo. É algo que traz para nosso íntimo a esperança no ser humano”, diz Adriano Gambarini, diretor de fotografia do vídeo.

Além das imagens de Gambarini, o filme conta com o trabalho de Marco Sarti, da compositora Suelen Frazz, mixagem e masterização sonora de Telo Luciano da Estúdio Prómix e colorização de Duane Cartaxo. A edição foi feita pela diretora Fernanda Machado, da FGM Conteúdo, e por Vitor Nascimento.

O vídeo contou, ainda, com o apoio de tradutores indígenas e indigenistas: Pha’avi Hava Deni, Amavi Minu Deni, Misiha Bukure Deni, Mavarivi Bukure Deni, Umada Kuniva Deni, Kavarivi Minu Deni, Genoveva Amorim e Rosa Maria Monteiro.

“Arapaima: redes produtivas” está disponível no canal da OPAN no YouTube, em português e inglês, além das redes sociais Facebook e Twitter.
Veja também